28 de setembro de 2010

Wal-Mart abre nova fronteira para expansão na África

A varejista americana Wal-Mart Stores Inc. anunciou uma agressiva mas também cara tentativa de ultrapassar seus concorrentes multinacionais na África, com uma oferta de 32 bilhões de rands (US$ 4,6 bilhões) para comprar a sul-africana Massmart Holdings Inc.

A oferta do Wal-Mart - a maior aquisição da empresa em mais de uma década - oferece um ágio relativamente alto pela Massmart, uma rede com 290 lojas em 13 países africanos.

Mas a aquisição também dará à varejista de Bentonville, Arkansas, uma base essencial para se expandir na África, e também permitirá que o Wal-Mart chegue antes de concorrentes europeus como Carrefour SA, Tesco PLC e Metro AG ao potencialmente lucrativo mercado subsaariano.

A Massmart serviria como uma "porta de entrada fantástica para boa parte do continente", disse Andy Bond, que já foi diretor-presidente da subsidiária britânica do Wal-Mart, a Asda, e agora está coordenando a oferta pela Massmart. A rede africana já começou a se expandir além de sua base sul-africana, disse Bond numa entrevista ao Wall Street Journal ontem.

O Wal-Mart aprendeu da pior maneira que ser pioneiro pode ser importante quando se trata de entrar em mercados internacionais de varejo.

O Carrefour, o maior concorrente do Wal-Mart, foi o primeiro a se instalar na América do Sul com a abertura de lojas no Brasil em 1975, quase duas décadas antes do Wal-Mart. A empresa francesa também foi a primeira rede internacional a firmar presença na Ásia, com uma joint venture em Taiwan em 1989.

Apesar de ter investido bilhões de dólares construindo e comprando lojas, o Wal-Mart ainda está atrás do Carrefour no Brasil atualmente. E o Carrefour continua sendo o maior varejista estrangeiro da China, o mercado mais cobiçado do mundo em desenvolvimento. Embora o Carrefour não tenha operações ao sul do Saara, a rede já tem lojas no norte do continente.

Mesmo assim, a investida do Wal-Mart na África continua sendo arriscada. A oferta é mais de 13 vezes maior que o lucro antes de impostos da Massmart e colocaria a rede americana numa região politicamente inflamável.

A África do Sul está se recuperando lentamente da recessão, tem altos níveis de violência e de desemprego e uma mão de obra fortemente sindicalizada, conhecida por suas greves longas e às vezes violentas. Outros países subsaarianos são ainda mais arriscados politicamente.

"A Massmart está bem posicionada para ser um trampolim para a África subsaariana, mas acreditamos que vai demorar muito mais para a empresa recuperar seu investimento na África", disse David Strasser, analista da Janney Montgomery Scott. "Para cada país relativamente estável, como Botsuana, há um Zimbábue."

Mesmo assim, o Wal-Mart parece estar preparado para enfrentar esses riscos enquanto tenta se expandir para mercados emergentes e aumentar seus negócios internacionais, que respondem por cerca de um quarto do faturamento anual em torno de de US$ 405 bilhões da empresa.

A divisão internacional tem sido claramente o motor de crescimento do Wal-Mart, agora que as vendas das lojas americanas abertas por um ano ou mais estão em queda há cinco trimestres consecutivos. A empresa também estuda entrar em outros mercados emergentes, como Rússia e Oriente Médio. "O Wal-Mart é uma empresa que quer muito se expandir no mundo", disse Bond.

Mas nem sempre o Wal-Mart conseguiu acertar a fórmula no exterior, em parte porque às vezes não conseguia atender aos hábitos e mercados locais. O varejista abandonou a Alemanha em 2006 após passar oito anos tentando entrar no mercado de lojas baratas do país, um dos mais concorridos do mundo. O Wal-Mart também deixou a Coreia do Sul na década passada.

A África do Sul, especialmente Joanesburgo e a Cidade do Cabo, oferece perspectivas favoráveis e atrai compradores da Nigéria, do Quênia e de outros países da região, por causa das boas estradas e ampla variedade de lojas, das mais baratas às mais caras, com marcas internacionais.

Como o Wal-Mart, a Massmart opera com lojas de baixo custo e alto volume, com variada oferta de produtos gerais e uma operação alimentícia em crescimento. Fundada em 1990, a Massmart tem várias redes, como a Game, de produtos gerais, a atacadista Makro e a Builders Warehouse, de materiais de construção.

A Massmart é uma das várias grandes redes, como a Shoprite Holdings Ltd. e a Woolworths Holdings Ltd., que dominam a África do Sul e se expandiram para os países vizinhos. A Massmart divulgou faturamento de 47,55 bilhões de rands (US$ 6,7 bilhões) no ano fiscal encerrado em junho, 10% a mais que no ano anterior.

Fonte: Valor Econômico
Reações:

0 Participações: