23 de fevereiro de 2012

Comercial do Itaú incomoda indústria gráfica





A Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional) manifestou hoje seu descontentamento com a nova campanha publicitária do Itaú, em que o bebê Micah aparece rindo histericamente ao ver seu pai rasgando uma folha de papel.

Em um comunicado divulgado à imprensa, a entidade argumenta que o discurso do comercial, de que a suspensão dos extratos impressos pelos clientes contribuiria para “um mundo mais sustentável”, não condiz com as características da produção de papel e celulose nacional.

“Não podemos aceitar que uma instituição do porte do Itaú preste esse desserviço à sociedade, transformando o papel de imprimir em vilão. Principalmente quando sabemos que o principal objetivo dessa campanha é a busca da redução de custos operacionais”, argumenta o presidente da Abigraf, Fabio Arruda Mortara.

Segundo a entidade, no Brasil, nenhuma árvore nativa é derrubada para a produção de papel, uma vez que 100% desse insumo tem como origem florestas plantadas.

Pelo menos dez entidades ligadas à cadeia da comunicação impressa, juntamente com a Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa) e as federações das indústrias dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais (Firjan e FIEMG) encaminharam cartas aos diretores do banco solicitando uma revisão conceitual da campanha.

De acordo com o Itaú, a campanha levantou discussões importantes relacionadas ao uso consciente do papel, e o diálogo com a Abigraf tem sido saudável.

Assista o vídeo




Fonte: Exame
Reações:

0 Participações: