17 de fevereiro de 2011

Pão de Açúcar cresce os olhos para eletrônicos e atacado

Com a perspectiva prévia de resultados 47,9% superiores nos últimos meses do ano passado, ante igual período do ano anterior - incluindo o desempenho da Casas Bahia, que passou a ser consolidada no balanço a partir de novembro -, o Grupo Pão de Açúcar (GPA) estima ter tido vendas líquidas de R$ 11,035 bilhões. Como o impacto das vendas da rede da família Klein maior, ou seja, o segmento "eletromóveis" com destaque, a empresa resolveu agora investir pesado na venda do segmento, que hoje representam 20% do que é comercializado, sendo a área de alimentos e bebidas responsável por 15%, além de aumentar o negócio no atacado e varejo (com o Assai).

O grupo vai enfocar ainda as ações em vendas pela internet (e-commerce) e uma das decisões confirmadas é o nome do site de comércio eletrônico Novapontocom. Outra é mudança é questão dos cartões onde o grupo já possui 7,8 milhões de cartões sendo que 15% das compras da empresa são feitas com o cartão próprio que possui parceria com o Itaú.

A bandeira Visa Vale também entra como uma interessante parceira do grupo, que pertence ao francês Casino, e a partir de agora e o cartão Alimentação Visa Vale, administrado pela CBSS, Companhia Brasileira de Soluções e Serviços, será aceito pelo Pão de Açúcar Delivery. Conforme a empresa, o vale-benefício pode ser utilizado para compras via internet em cinco capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza e Curitiba) e outras cidades paulistas.

Para finalizar a estrutura organizacional da subdivisão do atacarejo Assaí também foi alterado com a saída do diretor-geral Maurício Cerruti e a entrada do Belmiro Gomes que já pertencia ao grupo GPA . Com isso o modelo hipermercadista deve focar seus investimentos em expansão para outros estados e na ampliação do atendimentos dos clientes como revendedores que são o foco da empresa em todos os estados que atua exceto São Paulo, transformador onde o foco é São Paulo e institucional.

Segundo o vice-presidente do Grupo, Hugo Bethlem, o Assaí deve continuar com o planejamento de abrir 20 lojas por ano e a conversão das bandeiras Sendas e Comprebem. "O atacarejo é hoje é um dos setores que mais cresce na área alimentícia no País, e por isso, vamos continuar investindo no Assaí principalmente em outros estados onde a nossa participação é pequena ". Hoje a bandeira está presente em São Paulo, Ceará, Goiânia, Rio de Janeiro, Brasília e Pernambuco.

Os centros de distribuição (CDs) para armazenamento de produtos e eletroeletrônicos também estão na pauta das mudanças estruturais da companhia, que em 2009 tinha 29 locais e hoje possui cerca de 47 - o que deve aumentar daqui até o fim do ano.

Prévia do mercado

Para os analistas do HSBC Francisco Chevez e Manisha Chaudhry, o lucro consolidado do Pão de Açúcar será impulsionado pelo varejo alimentar, mas prejudicado por uma diluição resultante das operações do segmento de eletrônicos.

"Esperamos que as baixas margens desse segmento (eletrônicos) prejudiquem o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) consolidado", avalia.

Segundo a Itaú BBA, os resultados da operação principal do Pão de Açúcar não devem revelar surpresas. Em relação a Globex, controladora do Ponto Frio e Casas Bahia, as margens brutas deverão ser puxadas para cima. O levantamento destaca, porém, que a consolidação dos dois meses da Casas Bahia, na Globex, devem prejudicar os números do Ebitda e o resultado final em razão das despesas operacionais e financeiras relativas a esta operação.

Viagem

Não são apenas eletroeletrônicos e alimentos que a classe que C - hoje representante de 50,5% da população brasileira - está de olho. Os emergentes também querem viajar e pensando nisso, a Livraria Saraiva anuncia o inicio das vendas on-line de viagens.

Com um portal específico, o Saraiva Viagens, a companhia pretende vender pacotes turísticos, passagens de 900 companhias aéreas - para 150 destinos -, além de reservas em 80 mil hotéis no Brasil e no exterior.

A intenção, segundo Marcílio Pousada, presidente da Livraria Saraiva, é incluir a venda de viagens no catálogo de serviços. Hoje, já são oferecidos pela empresa a venda de garantia estendida e seguros, suporte a eletroeletrônicos e assistência técnica.

A Saraiva vai operar em parceria com a ViajaNet, companhia que atua no setor desde 2009. Com o serviço, a livraria deverá concorrer com portais como Submarino Viagens, da B2W, Decolar.com, com os sites das companhias aéreas e também com os das operadoras de turismo, como a CVC.

Apenas no ano passado, a Saraiva inaugurou 10 unidades em nove cidades brasileiras, que totalizam 93 lojas presentes em 15 estados brasileiros.
 
Fonte: DCI
Reações:

0 Participações: